domingo, 26 de abril de 2009

Cada vez entendo menos...

São muito poucas as coisas que eu percebo! Talvez porque a idade me faça melhorar e alguns aspectos, como o caso do cabelo que teima em ficar grisalho, mas me faça perder aquela capacidade de assimilar que eu próprio me reconhecia.
Cada vez menos entendo as ideias das pessoas, a forma como se relacionam; como se sentam num canto de um café, de forma fugidia e recatada, sem prestar atenção a quem foi importante ou pelo menos assim era tratado; não entendo a frieza, quando sei que é aparente, nem a necessidade clara de fazer os outros perceber o que não é real. Aparências, ilusões, sonhos, pensamentos... acima de tudo, uma grande desilusão!

1 comentário:

Sandra disse...

Já escrevi uma dezena de textos, que acabo sempre por apagar...são pensamentos e emoções que se atropelam e me entorpecem o raciocínio.
Mal pude esperar por aqui vir espreitar. Estava ansiosa, com o espirito em desassossego e a alma encantada... sim, estive a ler o teu livro... bem enroscada no meu sofá, numa noite de domingo devotada a viajar dentro de mim... e viajei, transportada pelas tuas palavras. A promessa que uma curta leitura (numa noite de um aniversário) me deixou, concretizou-se!

Cada vez entendo menos... Da minha procura desse entendimento (que preciso para apaziguar a alma com o mundo!) conclui que é o vazio de que se vestem algumas pessoas... construido de medos, de ausência de ser, de rendição...
Li uma vez: as pessoas são infelizes porque é mais fácil! Ser feliz implica lutar...
Com carinho
sss