domingo, 5 de abril de 2009

Parado no tempo...

Sonho todos os dias com voar para um local distante e diferente, cheio de água e paz, onde não seja preciso acordar para adormecer sossegado e tranquilo. Gostava de poder ver o sorriso que tanta falta me faz, de me sentar no telhado, encostado a uma nuvem branca, observando o mundo lá da frente, sem tempo nem desejo.
Faz-me falta o mar, a sensação de escutar o enrolar da ondas e das gaivotas nos seus voos rasantes e magníficos. Sinto falta disso tudo; e quanto mais sinto essa falta, mais vontade tenho de rumar rapidamente ao desconhecido, deixando a minha cadeira azul a rodar sem peso, sem norte, sem sentido. Janelas castanhas fechadas que impedem o céu de ser azul e imenso, ajudado pelo vento que não quer pegar em mim!