segunda-feira, 25 de maio de 2009

O beijo que eu mendiguei...

Mendigo um beijo, um carinho, a vontade de sentir algo quente e reconfortante na minha cara! Hoje preciso, faz-me falta, sinto-me sozinho e triste! Despido será a palavra! Lentamente a frustração toma conta de mim... há dias assim, em que nada parece bater certo, e as pessoas se movem como sombras atrás de muros de papel! Sinto a vontade de saborear aquele beijo ao qual estava tão habituado e o qual tanto me deliciava! Beijo certo e oportuno, no momento exacto e pertinente! Um beijo.. um simples e mero beijo! Aquele movimento estranho de dois lábios, seguido de som estridente e inconfundível! Um beijo... a manifestação mais pura de carinho e sensação! Sim, eu hoje mendiguei um beijo! Hoje senti falta de ter quem me beijasse, quem me abraçasse e dissesse que está tudo bem! Hoje desci à terra, tirei a máscara e fui humano por minutos, enquanto aquele desejo me atraiçoava! Mas não houve beijo! Não houve nada! Foi uma sensação apenas que passou; um desejo fugaz e efémero! Passou... como tudo passa! O beijo que eu mendiguei não chegou e eu, de cabeça levantada, consciente ao destino, lá continuei...

Sonho irreal... irreal... sonho...

Isso para mim é irreal! Eu conheci-te num local escuro, onde o teu brilho me fez apaixonar por ti! Não sei onde era aquele local! O que sei e me interessa é que esse brilho me fez apaixonar por ti, em qualquer lugar. Não sei onde te conheci... só sei que jamais me esquecerei do momento, da sensação e do teu olhar! Seguramente que um local para conhecer uma pessoa como tu será algo tipo paraíso, ou no meio de um sonho! Fosse onde fosse, terá sido real?! Estou feliz por isso...

Vontades

Sinto vontade de me ver livre de tudo, de pegar em ti e levantar vôo, sem destino nem horas, aproveitando o sol, as nuvens, o espaço sem fim... voar sentindo as tuas mãos em mim, o teu cheiro espalhando-se pelo espaço percorrido... regressar para um futuro sorridente, com desafios e sentidos que ajudassem a superar esta frustração que me sufoca e definha lentamente. Seres tu um alento, energia positiva, o sonho de uma vida por realizar!
21 de Maio de 2009, 10:32

Tempo

O tempo passa, bem como as noites e as manhãs, tão brancas quanto os cabelos que nos conquistam! Sinónimo de vida acima de tudo, bem como de momentos vividos de forma intensa e jamais esquecida! Amizades intemporais, sensações de nostalgia presente e passada! Sorrisos, copos, "Feiling Kleiner" com fartura!
Amizade, sempre! Parabéns mano! Godspeed!
21 de Maio de 2009, 12h10

terça-feira, 19 de maio de 2009

Noites escuras

Noites escuras, sem luar nem gaivotas, quando o mar descansa e as suas ondas embalam o doce sonhar dos peixes, eu fico ali sentado, calmo e relaxado, à espera do toque da espuma vitoriosa nos meus pés descalços!
Doce ninfa disfarçada de anjo, sorriso de sal e paz, ao encoberto das estrelas escondidas, que me provoca desde a crista da onda, à viagem vitoriosa e inebriante para um império de sensações, onde impera o sorriso e o carinho da minha bela e doce ninfa, e os meus olhos fecham-se ao prazer, desejo e vontade!
Acordo na mesma praia, com os pés molhados, cansado e feliz!
Olhando à minha volta a ninfa desapareceu, o mar continua calmo e os peixes ainda dormem!
Apenas resta a saudade da memória, o doce sabor daquele abraço, o sabor salgado daquelas lábios nos meus, o cheiro que me ocupa as narinas e me deixa extasiado!
Onde estás tu, ninfa fabulosa do meu coração?
15 de Maio de 2009, 16h55

Palavras

Nem sempre as nossas palavras acompanham os sentimentos! Por medo, por estupidez, por receio da palavra errada no momento certo!
Por fragilidade, por medo duma partida iminente, angustiante e desesperante! Até porque os sentimentos óbvios, os gestos, o carinho, admiração e dedicação são contrários às palavras, integram-se no momento, na vontade, no desejo, na dedicação!
É o medo de dar a mão, na varanda que afronta a vida, tendo o futuro como paisagem, com a certeza de que a companhia partirá e com ela todos estes pequenos privilégios, estes pedaços de vida, de sensações, e que a janela se fechará novamente, restando a vida de sofá, e mais uma vez essa terrível nostalgia que consolará a forçada solidão de quem quer ser feliz e ousou por momentos encarar uns fabulosos olhos castanhos com toda a sua serenidade e encanto!
Palavras de medo, sentimentos verdadeiros!
Palavras de vento, sentimentos verdadeiros!
15 de Maio de 2009, 14:15

Sinto

Sinto a tua falta! Sinto MESMO a tua falta! Onde estás?
Perto do meu coração?
Não te vejo, mas sinto-te e cheiro-te! É como se tivesse a tua mão no meu cabelo, como se sentisse a tua respiração na minha orelha!
Arrepio-me! Fecho os olhos e deixo-me ficar a saborear a delícia do pensamento que deixas em mim!
São os teus passos na areia da minha vida!
É o teu delicioso beijo no meu oxigénio!
És tão somente tu, mulher bela e inquietante de sorriso discreto e excitante!
E eu, puto perdido, de olho molhado, por ti (quase) perdidamente apaixonado!
15 de Maio de 2009, 12:33

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Tempo que passa

E o tempo passa, à semelhança de tudo e de nada, perdido em si e no espaço, onde "pouco" faz a diferença entre o tudo e o nada! Tu, momento ousado e irrequieto, inesquecível e sincero!

Sentir

Sentir sentindo,
passando por perto,
sorriso ao largo
para ponto incerto!
Miragem das águas,
sonhos ausentes,
admirando-te,
continuando a sentir!
Sonhos já abertos,
realidades,
beijos que marcam!
O teu cheiro,
o teu cabelo,
as minhas mãos percorrem-te
em tons de abraço!
Tu! Tu e sempre tu!
Olhares que prendem,
mãos entrelaçadas,
prado de orquídeas selvagens
da minha vida!

Feliz Aniversário

Hoje é o teu dia! :)
Estou feliz por te ter conhecido, por me ter sido possível ter-te ligado, demonstrando a minha felicidade em poder dar-te os meus parabéns!
Hoje queria ter estado contigo! Queria ter-te dado aquele abraço, cheio de ternura e carinho que tu muito bem conheces! Queria ter ficado ali, abraçado a ti, sem tempo nem espaço!
Hoje foi o teu dia! E eu não estive lá!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Perdi o medo!

Perdi o medo! Qual? Quantos "medos" não terei já perdido? Quantas vezes terei renunciado à minha sanidade para colocar de lado o medo, encher-me daquela substância maravilhosa chamada adrenalina, e deitar-me ao fundo, ficando com as pernas a tremer "a posteriori"? Também é verdade que perdi o medo de caminhar pela rua a ouvir a minha música, com os auscultadores enfiados nos ouvidos! Fazia-me confusão, fazia-me perder a sensação de segurança, conforto e orientação: é verdade, eu não conseguia caminhar na rua a ouvir música! Há dias apercebi-me que afinal o consigo fazer! Se me sinto 100%? Não, ainda não! :)
... mas já caminho na rua, a escutar as minhas músicas favoritas, de sorriso na cara e a pensar em fazer figura de parvo por ir distraído a cantarolar! :)

domingo, 3 de maio de 2009

Regressar

Sinto-me cansado; mas já há muitos dias que ando assim! O sol tem-me alegrado, tornando agradável conduzir assim!
Entristece-me sempre regressar num dia como o de hoje para uma casa vazia; fresca, mas vazia!
Apenas eu, o meu ar, os meus sentimentos, a minha solidão, eu próprio aqui fechado; a minha própria prisão de portas abertas!

1º Domingo de Maio

Hoje é o Dia da Mãe; o dia daquelas senhoras fabulosas e queridas, que existem nas nossas vidas, para os momentos certos e discretos, aborrecidos e de exultação! Hoje é o dia da Mãe! :-)