sexta-feira, 24 de julho de 2009

Passado de saudade

Quantas vezes dou por mim sentado (ou deitado), sem querer acordar, com saudades do passado, aquele que já passou e não volta, mas que deixa recordações tão boas quanto a areia que se esvai pelas nossas mãos, ou o doce sabor de mel que fica no canto de um lábio! Sinto a falta daqueles doces momentos em que nada fazia sentido, mas tudo se cruzava e resultava, com delicadeza e perfeição! Sinto saudades minhas... saudades de quem fui, de quem deixei ir! Saudades de ser como era, de fazer o que fazia! Saudades de não conseguir dormir, de noites em claro, por aí, sem destino nem fado! Saudades, saudades e saudades! Admiro quando um passado se resume em saudades, em nostalgias, sem mágoas nem loucuras! É bem melhor do que ter um passado como mágoa! Desespero... ainda!

Sem comentários: