quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Estou mais e melhor "eu"!

Só penso em escrever aquilo que de alegre sinto! Mas ao pensar que quero escrever algo alegre, penso se terei que mentir sobre aquilo que escrevo! Não que não consigo sentir nada de alegre, mas sim porque não sei escrever o que de muito alegre sinto! ou se me sinto alegre o suficiente para escrever! Sei que gosto de tudo o que se passa à minha volta: ando entretido, consigo sorrir, e tenho-me empenhado em coisas que há muito tinha posto de parte, por puro comodismo da minha parte; tenho centenas de textos já começados, inacabados, dispersos em pastas e diferentes computadores; não tão dispersos quanto a minha mente, o meu sorriso ou os meus pensamentos! Ainda sinto, ao longe, as brisas do mar que tantas saudades me dá! Não, não tenho lá ido, não tenho molhado os meus pés no mar que tanto gosto; falta-me a disponibilidade de o fazer! Há dias sentia saudades das minhas montanhas! A minha vontade de lá ir era muita, mas a disponibilidade mental de conduzir até lá fez-me estar em casa da minha mãe, quase no sopé do Parque, a olhar lá para cima, com o mesmo carinho e admiração de sempre, inspirando em plenos pulmões, com o intuito de sentir aquelas brisas milagreiras e deliciosas! Não consegui nada, mas valeu a intenção, o sentimento, o sorriso! Tudo isso vale a pena, em determinados dias! Quando a alma está inchada, vá-se lá saber porquê! Admiro e respeito quem em mim cria empatia e carinho! Cada diz que passa é menos um dia que tenho para passar com quem gosto! São gostos dispersos, pensamentos avulso, sorrisos discretos, mas sempre o mesmo abraço carinhoso que define distâncias e momentos, e marca a diferença entre amigos e pessoas. Ando saudoso; nostálgico! Mas ando bem, sinto-me bem, tenho sorrido bastante, mesmo quando me sento sozinho, dentro do carro, esperando que o tempo passe. Estou mais e melhor "eu"!

Again...

Está outra noite bonita! Adoro ver o azul dos trovões abrilhantar tudo à sua volta!!! Falta-me estar lá em cima, no Farol... a admirar as ondas e a beleza do temporal!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Desilusão e Desalento!

São 2 os sentimentos de hoje e dos últimos tempos; mas são quase sempre estes dois! Desilusão e Desalento! Desilusão porque as coisas não são como eu quero ou gostaria! Deveriam ser mais simples, menos complexas, de maior liberdade e mais sensações; mas tudo acontece ao mesmo tempo; já diz o velho ditado que "uma desgraça nunca vem só!"; custa-me a aceitar que para mim nada seja naturalmente fácil; não que eu complique, mas pura e simplesmente, sempre que o barco pode baixar as velas e preparar-se para navegar à bolina, as nuvens escuras povoam o crepúsculo e ameaçam fazer virar tudo! Começo a ficar enjoado deste navegar turbulento diário! Às vezes parece que aos 33 anos ainda preciso de provar tudo e mais alguma coisa! Inacreditável, até porque considero que já tenho uma boa, longa e apetitosa história de vida, com muita coisa para cantar, rir e chorar! O Desalento vem ao encontro da desilusão; são aqueles momentos em que me sento de braços em baixo, e olhos fechados, à espera que tudo passe e que o dia seguinte acorde maravilhoso, com sol e aquela sensação de vigor que dá tranquilidade! Sensações, momentos, pequenos traços de uma vida por vezes desesperante, em que já pouca coisa faz sentido, não fosse a minha determinação e pragmatismo! O dia em que duvidar de mim próprio já não serei eu, mas sim alguém que me comeu!