terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Foi difícil...

Foi difícil... fiquei com a língua áspera e a garganta seca, e nem sequer falei! Limitei-me a desabafar em meras linhas de palavras; um amontoado de expressões e palavras que traduziam sentimentos e olhares, emoções e uma carga de felicidade imensa! Gostava de perder uns quilos dentro da mesma sensação de leveza que consegui depois de abrir a alma! Senti-me uma barragem de comportas abertas! Faz tão bem! É uma merecida viagem à sinceridade, acima de tudo à Justiça merecida que é conhecer os pensamentos, o que vai na alma! Foi uma viagem sem maldade, um desabafo sentido, humilde e sincero! Foi a impossível tarefa de descrever o indescritível... mas nem sempre quando o mar está violento se deixa de navegar! Recolhemos velas e deixamos as ondas abraçar-nos e levar-nos para onde querem! E foi assim... deixei-me ir, nas palavras que o coração permitia, naquilo que eu sentia... e sorri, sorri sempre! Porque afinal, é sempre isso que eu faço, num dado momento; porque o contrário é impensável! E fiquei leve, fiquei feliz! E essa sensação de felicidade ainda hoje se transporta na leveza do meu espírito e no sorriso da minha alma! Espero que "as minhas palavras tenham chegado a ti", lá nesse espaço sideral por onde viajas e te refugias!

Sem comentários: