segunda-feira, 15 de março de 2010

Parar o tempo!

Os dias passam com a velocidade do famoso "abrir e fechar de olhos", sem tempo para apreciar segundos mágicos em que contemplámos um olhar, o delicioso tocar de uma mão na nossa, ou de uma carícia veloz, que afaga a nossa face, e nos faz fechar os olhos, em sinal de agrado, de submissão espiritual ao momento, já de si único! Passo horas admirando o infinito, como se esperasse uma resposta! Parece que estou fechado num quarto, sempre à espera daquele som da porta que se abre! Mas nem tudo é mau! Nem tudo me apoquenta! Talvez porque já me acostumei à demora, ao tempo que não passa! Hoje, e passados tantos anos, anos de espera que parecia eterna, sei que encontrei o que procurava. E essa sensação ninguém ma tira! É uma partilha muito pessoal, muito intensa, inesquecível! São estes verdadeiros momentos da minha vida que eu não consigo deixar de partilhar, de sorrir, de me sentir verdadeiramente feliz! Mas os dias continuam a passar, hora após hora, como segundos! E eu continuo aqui... com mais cabelos brancos, menos paciência, mais vontades... menos caprichos! Às vezes penso que deixei de contar os dias para não ter de contar as horas que anseio que algo aconteça! Longe vão os dias em que cada manhã era uma aventura, um momento único, partilhada por amigos genuínos, e hoje distantes, perdidos e nas suas vidas! Não deixo de suspirar por isso! Pelos mágicos cocktails azuis, pela velocidade, pelo gozo da sensação maior! Os meus passeios à beira-mar são mais tranquilos, lentos, doces! A última vez que lá fui, ao meu mar, à minha praia, levava comigo uma estrela; entrei no meu paraíso, acompanhado pelo meu futuro! E nem consigo descrever a sensação mágica que isso é! Não consigo transformar em palavras aquilo que se sente em tão especial momento! Tudo é mágico, tudo se transforma, tudo parece irreal! Mas eu sei, o meu coração sabe... que é verdade! Que estava lá! E só eu sei tudo aquilo que senti! E é nesses precisos momentos em que deveríamos parar o tempo!