sábado, 3 de abril de 2010

... não é para mim!

Estranho sentir que a vida volta para trás; volta a um início, mas um início frio, distante, sem luz nem cor! É como se me afastasse da minha praia, das minhas músicas, do meu querido Farol. Vou rever a minha vida; vou sentar-me a friamente pensar em tudo o que se passou, em tudo aquilo que fiz de errado; e vou querer perceber se poderei remendar e continuar sem nada alterar em mim; será impossível. Realmente o meu casulo é à prova de tudo, e lá tenho tudo! Não vale a pena vir cá fora! Prefiro ficar lá em cima, ao lado da lanterna do meu farol, e observar tudo o que se move; observar do lado do meu monóculo, a uma distância suficiente para saber que jamais serei atingido, jamais me envolverei naquele momento que passa! Lá em cima há segurança, há sabor, há momentos deliciosos; também há solidão, mas há muita música! Cá em baixo não é para mim!