terça-feira, 24 de agosto de 2010

Descoberta... choro... saudade... ingenuidade!

Saudades de quem não volta, ou o tempo perdido a chorar por quem não existe? Esta é a história de um sonhador! ... ou um verdadeiro ingénuo! Tu, eu, nós, vós, eles... Um dia acordas para um simples sorriso, daqueles que não sabes que existem! Um sorriso que te inundou de sorrisos pequeninos, ansiosos por nascerem para um mundo escuro de felicidades e momentos aparentes! Um dia acordas para uma realidade desconhecida: querer tirar o coração e oferecê-lo a alguém; oferecer as tuas largas costas para suportar o sofrimento de quem não queres ver sofrer! Um dia acordas para uma irrealidade de sensações misturadas com pedacinhos de amor, ilusões e promessas eternas escritas em água! Um dia acordas ao lado de quem nunca ali esteve, nem nunca ali se deitou; descobres o fantasma que há em ti, e descobres como se consegue deambular sem sentido por toda a eternidade! Descobres o que é não ter rumo e navegar à deriva! Descobres o que é ser ingénuo e pintar o céu nos nossos sonhos, sem saber ler nem escrever, nem contar que a tinta da vida é lavada pela água da chuva e das lágrimas! Aquilo que hoje é, amanhã faz parte dum emaranhado de sonhos e ilusões, e nada existe, nem nada fica! Existimos e fazemos parte dum momento calculista, perfeitamente controlado, perfeitamente doce, diria até mesmo, "perfeitamente perfeito"! Provavelmente o erro foi não perceber que tudo termina e fazer planos para uma eternidade relativa, nada absoluta e subjectivamente efémera! Talvez o mal seja confiar ou querer demais, oferecer demais! Fazer "render" o segundo, torná-lo inesquecível deveria ser mais comum, mais óbvio! Pensar à distância é um grande passo para o abismo daquilo que jamais controlaremos! Porque há sempre alguém que parte, alguém que fica e creio que nenhum dos dois estará pronto para a viagem seguinte; e vamos ter saudades... de quem nunca voltará, porque em boa verdade nunca ali esteve! E vamos chorar por quem não existe, porque em boa verdade, as ilusões são isso mesmo! Será que em algum momento foi um erro? Prefiro a minha ingenuidade! Prefiro acreditar que um dia vou sonhar pedaços perfeitos de vidas distantes e marcantes! Prefiro sonhar que as desilusões se esquecem e a elas se sobrevive inspirando fundo e continuando em frente! E quero também acreditar, ingenuamente, que ainda há sonhos para realizar e haverá maturidade suficiente para os distinguir das ilusões que atormentam o percurso! Quero acreditar que a mais bela das surpresas do mundo, é um pedaço daquele sorriso que eu bebi, e daquele abraço que eu senti! Se é que eu estava acordado!

Sem comentários: