sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Refúgios...

Procuro sempre espaços onde me sinto bem, onde sei que posso estar tranquilo, observando a entrada, e sonhando aos bocadinhos com aquilo que quiser. É aquilo que eu considero os meus pequenos refúgios, os meus locais de culto, a minha paz um pouco efémera mas doce e confortável. São estes os sítios que eu preciso para ser feliz! Começo a fugir cada vez mais das multidões enfurecidas de copo e garrafa na mão, cambaleando sem sentido por vidas irreais! Prefiro a discrição do meu momento, o bocadinho de Paz da minha Alma, a sensação reconfortante da frescura do espaço e do momento, daquilo que bebo ou que me delicia! Aqui (/ali/acolá) sinto-me bem, confortável e procuro alguma tranquilidade na sequência imediata dos segundos, no intervalo dos sorrisos! Por vezes compenso as saudades que tenho em passear nos bosques da minha Alma e nas praias dos meus pensamentos, pelas paredes brancas e frescas dos meus sonhos! Continuo a ser um pedaço de Alma errante, sem casa nem destino, vivendo entre pequenos refúgios que me protegem!