terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Distância!

Distância de tudo o que me faz sonhar! Distância de ti, do teu olhar! Distância do mar que me segreda a sensação diária do desconhecido, do gostar, do amar, do ser sincero com a Alma que me atormenta! Vivo a distância ao meu mundo, aos meus momentos de mergulho na escuridão do dia sem sentido: um atrás do outro, pé aqui e acolá, tremura inconsequente de quem tem medo de falar. A distância permite-me voar em direcção ao sonho do estar lá, ali, em qualquer lugar onde se sinta o cheiro que me alimenta! Distante de ti, do teu toque, do teu sorriso, daquele teu precioso momento que tudo abafa, e me faz corar! Distância de maldade, que me impede de voar! Distância cruel, quem me aprisiona a alma! Distância que me separa da verdadeira sensação de viver "e ser vivido"!

Sem comentários: