domingo, 2 de janeiro de 2011

Não há despedida!

Não há despedida! A despedida não existe quando os pensamentos não nos acompanham, ficaram todos por "lá"; trazemos cheiros, sorrisos, brilho nos olhos, pequenos bocadinhos de sonhos deliciosos transformados em migalhas doces! Como se pode despedir quando tudo em nós diz que nunca saímos "dali", ou era "ali" que tanto queríamos estar? Talvez trocasse essa vasta sensação de distância por tudo aquilo que um simples olhar me faz sentir. Não adivinho! Não sei! Só sinto, e tenho que fechar os olhos! Voando distâncias e pensamentos, sei que estou sempre por "aí", flutuando livremente e deliciando-me nos sonhos que me aquecem a alma e, de tempo em tempo, me fazem percorrer o espaço sideral do coração até perto! Sim, até perto, porque a proximidade com as estrelas queima! E eu prefiro-me maravilhar! Por isso não há despedida! Assim aprendo a admirar e a dar valor a tudo o que me faz vibrar! Não, não há despedida! Eu estou "aí"!

Sem comentários: