quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Que coisa!

Há coisas.. muitas coisas... daquelas coisas que não sei bem o que são! Sentimentos? Vontades? Desejos? Tranquilidades? Há de tudo, há coisas inimagináveis! Nem sequer me atrevo a pensar nas coisas de hoje, nos pedaços de pensamentos rasgados pela força do vento que nem sei de onde sopra. É como se a vela estivesse rasgada e algo, uma coisa qualquer, me impedisse de colocar o tão desejado remendo! Não se navega, bolina-se! É uma coisa estranha! Sensação de inquietude e, ao mesmo tempo, de contrastável tranquilidade, longe da mera apatia! Que coisa! Sinto-me irremediavelmente decidido quanto àquilo que quero! Já há muito tempo que não tinha esta paz de espírito, esta tranquilidade diária que me dá saúde mental quanto baste para esboçar sorrisos e poder dormitar pelo meio dos meus sonhos (acordado)! Que raio de coisa ser assim! Até me entendo, aliás, não tenho eu tentado outra coisa ao longo destes anos! Talvez me comece a tolerar mais do que a entender! São coisas, muitas coisas, muito amontoado de coisas a precisar de depuração e consequente conquista de mais alguma tranquilidade, de mais alguma coisa! Vivo em paz comigo, coração aquecido, sem conflitos com coisas que não sei perceber. Ao menos isso... são coisas, mas boas! Que coisa!