segunda-feira, 28 de maio de 2012

Oh Captain, my Captain!

"Oh Captain, my Captain!" - devo ter ouvido esta expressão pela primeira vez na década de 80, já no século passado; era eu um adolescente que admirava ler algumas rimas, e pensava que sabia escrever poesia. Vi um filme chamado "Clube dos Poetas Mortos", e acordei para a realidade poética da vida; depois daquele dia, e muitas lágrimas derramadas pelo final brutal e inesquecível do filme, eu percebi que talvez soubesse mesmo escrever! A verdade, é que jamais deixei de o fazer!
Por muito marcante que fosse aquele final, mais marcante ainda foi a expressão: "Oh Captain, my Captain!"; famoso poema de Whitman sobre Lincoln, o seu significado acompanha-me desde aí: recordo aquelas expressões jovens, doces, irreverentes a erguer-se acima das suas vidas, subindo para as mesas, batendo os pés e afirmando o maior elogio de sempre: "Oh Captain, my Captain!" - eu reconheço o teu valor, mudaste a minha vida, permitiste-me ver mais longe, mais além, dás-me a sensação de conforto e respeito que eu tanto preciso, fizeste-me subir aos céus quando eu pensava que nem um passo daria! São estes pedaços de admiração que nos ficam para sempre, são poucas as pessoas que se nos cruzam o caminho e merecem tal honra!
Eu conheço alguns; já chamei isso a algumas dessas pessoas; e acredito que sou uma pessoa melhor! Quantas pessoas que passaram pela vida, deixam um pouco de si, levam um pouco de nós ("O Principezinho, Saint-Exupéry), mas quantos não deixam nada, nem bom, nem mau, perdendo-se rua abaixo, sabe-se lá para que direcção? Também não interessa!
Talvez não sejam muitos os que mereçam tal distinção, mas há aqueles que a têm e não sabem! Talvez seja melhor assim! Há muitas medalhas que não são usadas, mas são seguramente marcantes e inesquecíveis. Tudo o que realmente interessa está guardado no nosso coração!
"Oh Captain, my Captain!" - podes ser tu, meu pai, tu, meu amigo! Quem quer que sejas, admiro-te!